Vamos falar sobre Ansiedade?


O aperto no peito, as "borboletas" na barriga, o coração acelerado, os pensamentos que se sucedem sem controlo. Todas as pessoas já sentiram ansiedade alguma vez na vida e estas são apenas algumas das suas manifestações.

Habitualmente repara-se nelas quando surgem de forma persistente no dia a dia, tornando-se difícil e penoso e trazendo consigo eventualmente consequências complicadas ao nível da saúde mental...


Mas o que é afinal a Ansiedade, que ganhou tanta visibilidade no mundo atual, e de que tanto se fala?


- O que é a ansiedade – normal e patológico

A ansiedade é uma reação emocional universal, atinge todas as idades e fases do ciclo de vida, e na maioria das situações é adaptativa, fazendo parte do desenvolvimento normativo. Nestas situações a ansiedade é reativa a determinadas situações e é de curta duração, acabando por se dissipar.

Contudo, há um número significativo e crescente de pessoas que sofrem de níveis elevados de ansiedade, acabando por interferir no seu bem-estar, na sua vida pessoal e profissional,podendo desenvolver uma perturbação de ansiedade. É um dos problemas de saúde psicológica mais comuns, afetando pessoas de todas as idades – adultos, adolescentes e crianças.


- Manifestações da ansiedade

A ansiedade tem efeitos no corpo : tensão muscular, agitação, dor de cabeça, batimento cardíaco acelerado, náuseas e vómitos, vontade de ir à casa de banho, dificuldade em dormir ou sensação de “borboletas no estômago”; e na mente : receios, estado de alerta, nervosismo, irritabilidade, incapacidade de relaxar e de concentrar. Pode também afetar o pensamento e as relações com os outros - pensar muito sobre as coisas, pensamentos repetitivos, negativos e/ou irracionais que se impõem – levando a interpretações erradas de situações sociais ou de relações, evitamento de locais, situações ou pessoas, conduzindo a maior isolamento.


- Causas

.Pode ser uma reação a acontecimentos de vida ou resultar de vivência de experiências que aumentam o risco de desenvolver uma perturbação de ansiedade. Também pode haver predisposição familiar. Por exemplo, a atual vivência de uma pandemia, como um stressor contínuo e prolongado no tempo surge como um enorme fator de risco para o desenvolvimento de perturbações de ansiedade, com efeitos visíveis na saúde mental da sociedade, afetando todas as fases do ciclo de vida.


-Tipos de ansiedade

As pessoas respondem à ansiedade de forma diferente, por isso, quando a ansiedade invade as suas vidas, podem experienciar ataques de pânico sem razão aparente, desenvolver uma fobia de sair de casa, medo súbito de enlouquecer ou de morrer, isolar-se da sua família e amigos e ter pensamentos obsessivos, ou comportamentos compulsivos, como estar constantemente a lavar as mãos; ou ainda vivenciar ansiedade crónica na sequência de episódio traumático.


- Estratégias e acompanhamento psicológico

É importante dar prioridade ao equilíbrio da mente – os medicamentos resolvem o sintoma, não a ansiedade. Por isso, é fundamental que as pessoas possam construir uma rotina que lhes traga tranquilidade e saúde: nutrição, prática de exercício físico, evitar o isolamento, estratégias de relaxamento, meditação, focalização no presente. Quando os sintomas persistem e interferem negativamente na vida da pessoa, é importante que possa procurar ajuda de um psicólogo.

Existem ainda recursos de apoio na emergência psicológica, integrada na linha SNS24em Dezembro; ou como exemplo a linha de apoio às famílias, gratuita, da Sociedade Portuguesa de Terapia Familia (SPTF ao telefone com as famílias).

Posts Em Destaque
Posts em breve
Fique ligado...
Posts Recentes