TERAPIA FAMILIAR E DE CASAL

ricardo-moura-Y5JVToef_sk-unsplash_edited.jpg

 

O que é?

A Terapia Familiar Sistémica é uma forma de psicoterapia que perspetiva os problemas/dificuldades ao nível dos sistemas de interação dos membros de uma família. Dirige-se a famílias e casais que estão a sentir dificuldades em questões emocionais, relacionais, geracionais, comunicacionais, e que procuram este apoio. Baseia-se no pressuposto de que o ser humano não age isoladamente, mas em contínua interação com o seu meio, com o contexto e nos sistemas de que fazem parte ao longo do ciclo de vida. É uma abordagem que perspectiva a Família como um todo orgânico, um sistema relacional que supera e articula entre si os diversos componentes individuais (Andolfi, 1987).

Para quem é?

Destina-se à família, ou apenas a alguns membros da família, assim como aos casais. Não se foca num só membro da família, envolvendo todos os intervenientes, que assumirão responsabilidade pela sua participação neste processo terapêutico. Há muitos formas de ser Família, pelo que consideramos a Família em todas suas configurações possíveis, com as características específicas e particulares de cada uma (casais sem filhos, casais com filhos biológicos ou adotados, famílias monoparentais, famílias reconstituídas, famílias homossexuais, entre outras).

Em que situações?

Tem como objetivo ajudar as famílias a compreenderem-se melhor, apoiar em situações de crise ou em momentos cruciais e transformações ou crises decorrentes das mudanças de ciclo de vida, permite detectar e conciencializar acerca de padrões de interação e de comunicação, permitindo à família encontrar os seus recursos e as suas potencialidades na construção de um projeto comum.

As sessões têm como principal objetivo potenciar as competências e recursos da dinâmica familiar, facilitar a comunicação, reorganizar as relações familiares, promover o autoconhecimento, colocar em evidência as competências da própria família, ativando a sua participação na resolução dos seus problemas e dificuldades.

O papel do terapeuta familiar é ativar um processo no qual a família pode observar, experimentar e mudar problemas que se lhes põem, apoiar em momentos de crise, em que sentem que estão a ter dificuldades em ultrapassar os seus desafios sem apoio especializado

 

A Terapia Familiar pode ajudar em situações ao longo das várias fases do ciclo de vida, como:

- formação do casal e início de vida a dois

- nascimento/adoção dos filhos

- educação e crescimento dos filhos (da infância até à vida adulta)

- famílias com crianças e/ou adolescentes

- casais/pais na terceira idade

- separação/divórcio,

- processos de perda e luto,

- doença aguda ou crónica de um dos membros da família,

- conflitos familiares

- dificuldades de comunicação

- desafios das famílias reconstruídas

Como decorrem as consultas de Terapia Familiar?

Os diferentes momentos que integram todo o processo em que decorrerão as consultas de terapia familiar, dependem do tipo de problema identificado e do nível de envolvimento da família no mesmo.

Inicia-se com um processo de avaliação, com o objetivo de conhecer a família, as suas características particulares, é realizada uma anamnese (história familiar), definir expectativas e objetivos, para chegar a um diagnóstico da situação.

De acordo com as necessidades e objetivos estabelecidos, são agendadas sessões, com periodicidade semanal, quinzenal ou mensal, decorrendo por um período de tempo definido em conjunto com a família.

Ao longo do processo de intervenção são realizadas reavaliações no sentido de recolher informação acerca do ritmo de desenvolvimento, acerca dos aspetos que ainda precisam de ser alvo de intervenção, ou acerca da necessidade de continuar a beneficiar de intervenção.

O processo psicoterapêutico pode envolver toda a família ou só alguns elementos, variando de acordo com as questões apresentadas.